O que é demissão por comum acordo? Saiba quais são todos os seus direitos

demissão por comum acordo - aperto de mão

O que é demissão por comum acordo?

A demissão por comum acordo é uma inovação que foi introduzida com a reforma trabalhista em 2017 e apenas formalizou uma situação que já era recorrente na relação prática entre empregadores e empregados.

Quando as duas partes têm intenção de pôr fim à relação de trabalho, é possível realizar a extinção do contrato de comum acordo.

Quais são os direitos do funcionário na demissão por comum acordo?

Sendo a extinção do contrato de trabalho realizada de comum acordo, o empregado tem parte de seus direitos às verbas trabalhistas garantidos, já que a demissão não é ocasionada pela vontade unilateral de uma das partes.

Quais verbas são pagas na rescisão por acordo?

O empregado que extingue sua relação de trabalho de comum acordo com a empresa, tem direito a receber pela metade, o aviso prévio, se indenizado, a indenização sobre o saldo do FGTS e integralmente as demais verbas trabalhistas como saldo de salário, férias e 13º proporcionais.

A movimentação da conta do FGTS fica limitada a 80% do valor dos depósitos e o empregado não tem direito a receber o seguro desemprego.

Como fazer os cálculos da demissão por comum acordo?

A demissão por comum acordo deve ser calculada da mesma forma que a demissão sem justa causa, a única diferença é que o aviso prévio, se indenizado, e a multa sobre o saldo do FGTS a ser paga pelo empregador, devem ser calculados pela metade e não integralmente.

As demais verbas devem ser consideradas normalmente, ou seja, o salário deve ser pago proporcionalmente aos dias trabalhados até o acordo sobre a demissão, as férias vencidas devem ser pagas integralmente, as férias no período aquisitivo, ⅓ constitucional e o 13º salário, calculados proporcionalmente.

Em relação à multa que o empregador está sujeito a pagar quando realiza uma demissão sem justa causa, incidente sobre o valor do saldo do FGTS, deve ser calculada em 20% e não em 40%.

Há benefícios na demissão em comum acordo?

Assim como todo acordo, as partes envolvidas sempre têm benefícios e abrem mão de certos direitos, e na demissão por comum acordo não é diferente, tanto o empregado, como o empregador, abrem mão de certos direitos, mas mantém outros benefícios que não teriam se a decisão fosse unilateral.

Isso porque, quando a empresa demite sem justa causa um funcionário, ela é penalizada por isso e o empregado recebe todos os benefícios previstos em lei.

Por outro lado, quando o funcionário pede demissão, também é penalizado e não recebe os mesmos benefícios a que tem direito na demissão sem justa causa.

Benefícios para o funcionário 

Para o funcionário que não tem mais interesse em manter vínculo trabalhista com seu empregador, pedir demissão faz com que perca alguns benefícios a que teria direito, o que lhe inibe de tomar essa atitude.

Assim como a empresa, quando não tem mais interesse na relação de trabalho com o funcionário, mas não o demite sem justa causa por conta das verbas rescisórias e multa que tem que pagar nesta modalidade.

Para equalizar essa situação, foi criada a demissão de comum acordo. O funcionário mantém parte de seus direitos e a empresa não precisa arcar integralmente com todos os custos de uma demissão sem justa causa.

Dessa forma, o funcionário recebe metade da multa do FGTS e aviso prévio, se indenizado, além das demais verbas a que teria direito na demissão sem justa causa, mas a maior diferença do acordo para o pedido de demissão unilateral do funcionário é a possibilidade de utilizar o saldo do FGTS, limitado a 80%, além de receber metade da multa paga pelo empregador.

Benefícios para a empresa

Por outro lado, a empresa também tem alguns benefícios em relação à demissão sem justa causa, pois paga apenas 20 dos 40% de multa do saldo do FGTS, além de metade do aviso prévio indenizado, o que pode ser considerado um benefício para a empresa, uma vez que pagaria integralmente esses valores sem o acordo.

As demais verbas rescisórias o empregador paga normalmente, assim como se realizasse a demissão sem justa causa.

Como fazer a demissão em comum acordo corretamente?

Por ser a demissão em comum acordo um instituto novo na relação de trabalho, para que a empresa e o empregado evitem qualquer tipo de transtorno futuro, seja por não seguir todas as exigências legais ou por desconhecer os procedimentos, o ideal é procurar um profissional especializado, que poderá auxiliar no que for necessário.

Como fazer uma carta de demissão em comum acordo?

Como no direito do trabalho e na relação trabalhista em geral não prevalece o princípio da formalidade, a forma e conteúdo para formalizar a demissão em comum acordo pode ser livremente realizada entre as partes.

Porém, o fato de não ser exigida uma forma específica, não quer dizer que as partes possam fazer qualquer documento, pelo contrário, é preciso constar algumas informações importantes para que não haja problemas futuros.

O acordo sobre a demissão do funcionário deve ser formalizado por meio de carta escrita.

Se o pedido partir do trabalhador, é recomendado que escreva de próprio punho o motivo e interesse em rescindir o contrato de trabalho e que tal ato está sendo realizado de comum acordo com a empresa, nos termos do art. 484-A da CLT, devendo o empregador assinar uma via da carta.

Se o interesse partir do empregador, o ideal é que a carta contenha as mesmas informações, mas digitada e impressa em papel timbrado da empresa ou, na sua falta, com os dados cadastrais da empresa e do representante legal que assinará o documento.

Além dessas informações, é recomendado que a carta contenha se haverá o cumprimento do aviso prévio ou se será indenizado e que ambas as partes têm ciência de seus direitos e obrigações decorrentes da demissão por comum acordo.

Por fim, uma informação que é de extrema importância é a assinatura por duas testemunhas, a fim de comprovar que não está havendo nenhum tipo de coação por nenhuma das partes e que de fato estão realizando a demissão de comum acordo.

Compartilhe esse artigo!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Esse site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência.
Clique em "Aceitar" para seguir ou "Política de Privacidade" para saber mais.

Iniciar conversa
Fale com a DSG
Olá,
Envie sua mensagem que te retornaremos em breve.

Obrigado!