O Novo código de processo civil (NCPC) e a necessidade de cadastro no cadastro nacional de peritos contábeis

NCPC

[et_pb_section fb_built=”1″ admin_label=”section” _builder_version=”3.22″][et_pb_row admin_label=”row” _builder_version=”3.25″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”][et_pb_column type=”4_4″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_text admin_label=”Texto” _builder_version=”3.27.4″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Em tempos de recadastramento no Conselho Regional de Contabilidade (CRC), não há como deixar de atentar para a criação do Cadastro Nacional de Peritos Contábeis (CNPC), resolução 1502/2006 do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), com o objetivo de oferecer aos Tribunais uma lista de profissionais habilitados e qualificados.

Quem exerce atividade de perícia contábil terá até 31 de dezembro para se cadastrar no CNPC do CFC pelos portais dos Conselhos Regionais de Contabilidade (CRCs) e no portal do CFC.

Tal cadastro está relacionado às alterações promovidas pelo Novo Código de Processo Civil, que entrou em vigor em 18/03 p.p. Com a nova legislação, o perito será nomeado entre os profissionais legalmente habilitados em órgãos técnicos ou científicos devidamente inscritos em cadastro mantido pelo tribunal. Daí, a necessidade de se inscrever no CNPC.

Nomeado o perito, o juiz fixará prazo para entrega do laudo, e o perito terá 05 dias para apresentar a proposta de honorários, currículo e comprovação de especialização e contatos profissionais, em especial o endereço eletrônico, por onde será intimado.

A proposta de honorários periciais contábeis deve seguir o determinado nos itens 47 a 64 da NBC–Norma Profissional do Perito 01.

O perito deve entregar o laudo no prazo que o juiz designar ou requerer dilação, que não será superior a metade do prazo originalmente fixado.

Deve, também, o perito dar ciência às partes acerca da data e local do início dos trabalhos, com antecedência mínima de 5 dias, garantindo acesso às diligências.

O laudo deve conter a exposição da análise técnica ou científica realizada, indicação do método utilizado, demonstrando ser aceito pelos especialistas da área, dar resposta conclusiva a todos os quesitos, com fundamentação em linguagem simples e coerência lógica.

O Novo CPC proíbe o perito de ultrapassar os limites de sua designação, e de emitir opiniões pessoais que excedam o exame técnico.

Uma grande novidade do novo CPC é o fato do perito e o assistente técnico poder valer-se de todos os meios necessários, como ouvir testemunhas, solicitar documentos que estejam em poder da parte ou de terceiros.

Caso sejam necessários novos esclarecimentos, as partes podem formular novos quesitos e requerer ao juiz que mande intimar o perito ou o assistente técnico para comparecer à audiência de instrução e julgamento. Se, ainda assim, a matéria não for esclarecida, o juiz determinará nova perícia.

Se o expert prestar informações falsas, responderá pelos prejuízos que causar à parte, ficará inabilitado para atuar em outras perícias (por 2 a 5 anos), e o magistrado comunicará o fato ao órgão de classe.

Se faltar ao perito conhecimento técnico ou científico, ou se sem motivo legítimo deixar de cumprir o encargo no prazo, o perito pode ser substituído, e, neste caso, o juiz comunicará ao órgão profissional, podendo impor multa. O perito substituído restituirá os valores recebidos, sob pena de ficar impedido de atuar como perito judicial.

Quanto aos honorários periciais, o juiz pode determinar o pagamento de até 50% do valor no início dos trabalhos e o restante só após a entrega do laudo e esclarecimentos, isto vale para os honorários remanescentes. Se o magistrado entender que a perícia é inconclusiva ou deficiente, poderá reduzir a remuneração arbitrada.

O NCPC criou a perícia consensual, que é a possibilidade de as partes, de comum acordo, escolherem o perito.

Criou ainda a prova simplificada para casos de ponto controvertido de menor complexidade, trata-se de simples inquirição pelo juiz a um especialista.

Em suma, o que nota-se é que as mudanças trazidas pelo Novo Código (NCPC) exigem e mais conhecimento e zelo por parte dos profissionais da área contábil que trabalham na perícia judicial.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Compartilhe esse artigo!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Esse site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência.
Clique em "Aceitar" para seguir ou "Política de Privacidade" para saber mais.

Iniciar conversa
Fale com a DSG
Olá,
Envie sua mensagem que te retornaremos em breve.

Obrigado!