Auxílio-doença previdenciário e auxílio-doença acidentário: saiba as diferenças

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Texto”]

A Previdência Social possui diversos benefícios, que são ofertados aos trabalhadores mediante a contribuição dos segurados, oferecendo amparo financeiro em vários casos previstos na legislação.

Dois desses benefícios causam muitas dúvidas aos contribuintes: o auxílio-doença previdenciário e o acidentário. Portanto, vamos clarificar as diferenças entre os dois benefícios, conforme abaixo.

O que é auxílio-doença previdenciário?

O auxílio-doença previdenciário é um benefício por incapacidade devido ao segurado do INSS acometido por uma doença ou acidente que o torne temporariamente incapaz para o trabalho. Esse auxílio recebe o código 31.

Quem paga?
No caso dos trabalhadores com carteira assinada, os primeiros 15 dias são pagos pelo empregador, e a Previdência Social paga a partir do 16º dia de afastamento do trabalho.

Qual o valor?
O valor do benefício corresponde a 91% da média dos últimos 12 salários de contribuição do segurado, ou, se não alcançado o número de doze, a média dos salários-de-contribuição existentes. Não pode ser um valor inferior a um salário mínimo.

Quando se inicia?
A partir da data do início da incapacidade. Caso o pedido seja feito depois de 30 dias de afastamento, o INSS não se responsabiliza pelo pagamento de valores retroativos.

Até quando é válido?
– quando o segurado recupera a capacidade para o trabalho;
– quando esse benefício se transforma em aposentadoria por invalidez, aposentadoria por idade;
– quando o segurado solicita alta médica e tem a concordância da perícia médica da Previdência Social;
– quando o segurado volta voluntariamente ao trabalho;
– quando o segurado vier a falecer.

Quem tem direito ao auxílio-doença previdenciário?
– possuir a carência de 12 contribuições;
– possuir qualidade de segurado (caso tenha perdido, deverá cumprir toda a carência novamente);
– comprovar doença que torne o cidadão temporariamente incapaz de trabalhar, através de exame realizado pela perícia médica da Previdência Social;
– caso perca a qualidade de segurado, deverá cumprir toda a carência novamente;
– para o empregado em empresa: estar afastado do trabalho há pelo menos 15 dias (corridos ou intercalados dentro do prazo de 60 dias).

O que é auxílio-doença acidentário?

É um benefício devido ao segurado(a) empregado(a), segurado especial e trabalhador avulso que ficar incapacitado(a) para trabalhar em decorrência de acidente de trabalho. Esse auxílio recebe o código 91.

Qual o valor?
O auxílio-acidente mensal corresponderá a 50% do salário-de-benefício e será devido. Ademais, este benefício não exige carência, basta estar filiado à Previdência Social.

Quando se inicia?
A partir do dia seguinte ao da cessação do auxílio-doença, independentemente de qualquer remuneração ou rendimento auferido pelo acidentado, vedada sua acumulação com qualquer aposentadoria.

Até quando é válido?
– quando o segurado recupera a capacidade para o trabalho;
– quando esse benefício se transformar em aposentadoria por invalidez;
– quando o segurado solicita alta médica e tem a concordância da perícia médica da Previdência Social;
– quando o segurado volta voluntariamente ao trabalho;
– quando o segurado vier a falecer.

Quem tem direito ao auxílio-doença acidentário?
O benefício acidentário é devido ao segurado acidentado, ou ao(s) seu(s) dependente(s), quando o acidente ocorre no exercício do trabalho a serviço da empresa, equiparando-se a este a doença profissional ou do trabalho ou, ainda, quando sofrido no percurso entre a residência e o local de trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a redução da capacidade para o trabalho.

Quem deverá comunicar o acidente do trabalho?
A Comunicação de Acidente do Trabalho – CAT deverá ser feita pela empresa, ou na falta desta, pelo próprio acidentado, seus dependentes, pela entidade sindical competente, pelo médico assistente ou por qualquer autoridade pública.

Durante o benefício de auxílio-doença acidentário o empregado pode ser dispensado?
Não, ele tem garantia da manutenção do contrato de trabalho até 12 meses após a cessação do auxílio-doença acidentário.

Leia também:
Representante Comercial: quais os direitos e o que você precisa para ser um
Férias: Tire suas dúvidas!
Demissão: quais os seus direitos?
Processos trabalhistas têm alta no Brasil
Alterações no Seguro-Desemprego
13° salário: saiba tudo sobre o benefício trabalhista

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Compartilhe esse artigo!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Esse site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência.
Clique em "Aceitar" para seguir ou "Política de Privacidade" para saber mais.

Iniciar conversa
Fale com a DSG
Olá,
Envie sua mensagem que te retornaremos em breve.

Obrigado!