Funcionários, sim. Processos trabalhistas, não

Processos Trabalhistas

[et_pb_section fb_built=”1″ admin_label=”section” _builder_version=”3.22″][et_pb_row admin_label=”row” _builder_version=”3.25″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”][et_pb_column type=”4_4″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_text admin_label=”Texto” _builder_version=”3.27.4″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

O médico, como todo profissional, muitas vezes necessita contratar funcionários para que possa realizar suas atividades.

Às vezes, uma boa secretária será suficiente, mas dependendo da estrutura, será necessária a contratação de outros profissionais: faxineira, auxiliar de enfermagem, instrumentadora.

Dessa necessidade surge a relação de emprego, protegida por lei e que, quando não cumprida, ocasiona o abalroamento dos tribunais com processos trabalhistas que, muitas vezes de tão onerosos, podem até inviabilizar a continuidade da atividade desenvolvida.

Mas, como em tudo na vida, a prevenção também é o melhor remédio em questões trabalhistas, e a adoção de algumas medidas minimiza o risco de ser levado aos tribunais do trabalho:

  1. Não tenha empregado sem registro na carteira de trabalho, mesmo que seja a filha do seu melhor amigo desde a infância. O prazo para anotação da CTPS é de 48 horas.
  2. Conheça e esteja atento ao acordo coletivo/convenção que rege a categoria à qual pertence o seu empregado. Todo funcionário pertence a uma classe sindical, com suas particularidades próprias.
  3. Não busque subterfúgios ou artifícios para burlar a lei. Evite pegar atalhos, embora estes, a princípio, pareçam menos onerosos. Isso, realmente, é só aparência, no futuro pode representar um passivo sem precedentes. Respeitar a legislação é bom para a empresa e para o funcionário, além de representar um importante desestímulo aos processos trabalhistas.
  4. Dê atenção à documentação, organize-a, mantendo-a guardada. Anote no contrato de trabalho as condições pactuadas com o funcionário, desde que não contrárias à lei.
  5. Trate o empregado com consideração, sem distinção, procure manter um ambiente de trabalho cordial e respeitoso. Mágoa, raiva e ressentimento são sentimentos poderosos para desencadearem um processo trabalhista.

Sei que o seu dia é atribulado, mil funções, correria sem tamanho, não dá tempo para tudo, então o adiamento de certos assuntos se torna inevitável.

Mas não opte por cuidar das relações trabalhistas com seus funcionários quando as mesmas já estão na UTI, com morte cerebral. Mantenha-as em BEG. Previna-se e poderá dizer: tenho funcionário(s), não tenho processos trabalhistas.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Compartilhe esse artigo!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Esse site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência.
Clique em "Aceitar" para seguir ou "Política de Privacidade" para saber mais.

Iniciar conversa
Fale com a DSG
Olá,
Envie sua mensagem que te retornaremos em breve.

Obrigado!