Pensão Alimentícia – Regras Mais Rigorosas

Pensão Alimentícia

[et_pb_section fb_built=”1″ admin_label=”section” _builder_version=”3.22″][et_pb_row admin_label=”row” _builder_version=”3.25″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”][et_pb_column type=”4_4″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_text admin_label=”Texto” _builder_version=”3.27.4″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]A lei da Pensão Alimentícia é uma das mais polêmicas e comentadas no nosso País, talvez uma das poucas dívidas que possa levar um devedor à prisão, tudo regido pelo binômio necessidade do alimentado e possibilidade do alimentando.

A partir de 18/03/2016, entra em vigor o Novo Código de Processo Civil, o qual possui disposições específicas sobre o assunto (art. 528 e seguintes), consolidando entendimentos já pacificados pela jurisprudência e trazendo novas previsões, com o objetivo de tornar mais célere o recebimento dos valores.

Com as mudanças ocorridas, as regras serão as seguintes:

  • com no mínimo 3(três) pensões em atraso, o devedor, poderá ser preso;
  • a prisão será em regime fechado;
  • o cumprimento da prisão não exime o pagamento da dívida;
  • a dívida poderá ser levada ao protesto;
  • possibilidade de desconto dos vencimentos do devedor em até 50% de seus vencimentos líquidos.

Não há garantias de que essas mudanças serão eficazes, mas, sem dúvida dificultarão em muito a vida dos devedores.
[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Compartilhe esse artigo!

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn

Esse site utiliza cookies para garantir uma melhor experiência.
Clique em "Aceitar" para seguir ou "Política de Privacidade" para saber mais.

Iniciar conversa
Fale com a DSG
Olá,
Envie sua mensagem que te retornaremos em breve.

Obrigado!